Processo de habilitação “de genere” de Belchior da Fonseca, filho de João Antunes Freire e de Maria da Fonseca, natural da freguesia de Casais, termo de Tomar, para ser admitido a prima tonsura, a ordens menores e ordens sacras.

Description level
File File
Reference code
PT/ADEVR/FE/DIO-CEEVR/A/002/01873
Title type
original
Date range
1728 Date is certain to 1731 Date is uncertain
Dimension and support
1 proc. (146 fls.), em papel.
Scope and content
O habilitando era congregado na Congregação de Nossa Senhora das Necessidades de Tomina e encontrava-se no Colégio de Nossa Senhora do Alcance, extra muros da vila de Mourão. O nome de religioso era Belchior do Rosário. Constam inquirições “de genere” que se fizeram no termo e cidade de Tomar, e inquirições de “vita et moribus” que se fizeram na vila de Mourão e na cidade de Évora, a favor do habilitando, por comissões do Dr. Manuel Álvares Cidade, provisor das justificações “de genere” do Arcebispado de Évora; constam as certidões de baptismos e casamento do habilitando e de seus pais, e o certificado em como o habilitando era congregado na referida congregação; o processo de património que contém, entre outros documentos, a escritura de dote para ordens sacras que fez José da Fonseca, irmão do habilitando, e auto de posse do mesmo património que tomou, na freguesia de Casais, termo de Tomar, José da Fonseca como procurador de seu irmão, as diligências de visita e avaliação do património que se fez na mesma freguesia; uma petição do Director do Convento de Nossa Senhora do Alcance requerendo que o habilitando auferisse ordens de evangelho e ordens de missa. Consta o deferimento para as receber.
Access restrictions
Documentação de consulta livre.
Physical location
Proc. nº 1873, Mç. nº 132
Language of the material
Português
Physical characteristics and technical requirements
Possui alguns fólios com trespasses de tinta que dificultam a leitura dos documentos.